Imagem de SULEIMAN JAGHOUB
O ENSINO SEMIPRESENCIAL
por SULEIMAN JAGHOUB - segunda, 29 agosto 2011, 12:05
 

O ensino semipresencial é uma modalidade de ensino que mescla atividades presenciais com atividades à distância. Esse tipo de ensino conta com a ajuda de recursos tecnológicos para desenvolver atividades didáticas.

A Portaria 4.059 de 10 de dezembro de 2004, descreve o ensino semipresencial como “quaisquer atividades didáticas, módulos ou unidades de ensino-aprendizagem centrados na auto-aprendizagem e com a mediação de recursos didáticos organizados em diferentes suportes de informação que utilizem tecnologias de comunicação remota”.

O principal problema encontrado para a implementação e sucesso de cursos ou disciplinas semipresenciais é a resistência das pessoas. As desvantagens para o aluno pode ser a Internet, não ter capacidade para determinados conteúdos e a obrigação de manter a motivação forte e ritmo de estudo. Para os professores têm-se como desvantagens, a necessidade de maior tempo para elaboração dos conteúdos e a busca de especialização para esta realidade. Já as Instituições de Ensino precisam arcar com custos de desenvolvimento e formação mais elevados.

Outro equívoco é o apostilamento. Disponibiliza-se uma “tonelada” de informação via internet e acha que o curso está dado. Se fosse assim, o aluno leria  um livro, o que é muito melhor. O sucesso da educação a distância passa  prioritariamente pela interação. A resistência dos alunos nas semipresenciais, na  educação a distância, é uma questão de cultural.

Deve-se vencer a tecnofobia do aluno e do professor que não usa computador, não  usa e-mail. Ou seja, não é nem questão de conseguir, mas de não querer fazer parte  da tecnologia.

O aluno deve ter o compromisso de cobrar conteúdos a serem disponibilizados pelos professores no semipresencial. Pois só assim, a grandeza do material trabalho será bem superior aos conteúdos em muitas vezes escassos ou limitados pelo pouco tempo da sala de aula.

 
Saltar Navegação

Navegação